Nova pregação em MP3


Lançamentos em DVD

TEMA: AOS PÉS DE JESUS

FILMADO EM
Congresso de Mulheres
MINISTÉRIO RESTITUIÇÃO - LUNABEL/GOIÁS

          No quarto dia de luto pelo seu irmão, Marta recebe a informação de que Jesus estava na porta da cidade, ele vai ao seu encontro, e algum tempo depois ela volta com uma informação aparentemente capciosa, dizendo; JESUS MANDOU TE CHAMAR, e sendo assim, Maria corre ao seu encontro, e surpreende a todos quando ao chegar próximo a ele, ela se lança aos seus pés e o adora, no momento da maior crise da sua vida 








TEMA: AO LAVAR DAS REDES

FILMADO EM
MINISTÉRIO CAMINHO DA VIDA - PONTA GROSSA/PARANÁ



Após uma longa e frustrante noite de pesca, Pedro, toma a atitude certa para atrair a atenção de Jesus, que estava ali perto ensinando a multidão e observando os pescadores que desembarcavam com barcos vazios ali próximo, quando percebe que Pedro apesar de toda frustração e cansaço causado por aquela noite de redes vazias, está lavando a sua rede, reorganizando as coisas, refazendo os nós, e preparando sua rede para continuar tentando em outro dia, ou outro momento, e só apensa depois de esta atitude é que ele entra em seu barco, vindo logo depois ordenar que ele lançasse novamente sua rede ao mar para pescar.






Outros Dvds...

mulheres podem ser pastoras ?



PASTORAS; Pode ou não ter pastoras na igreja?

          
Um dos assuntos mais controversos, que alimentam acalorados debates a séculos, são as ordenações de mulheres ao ministério pastoral, e assim sendo geralmente as igrejas mais tradicionais se mantém na posição de rejeitar, outras estão mais abertas a esta possibilidade, enquanto outras são fundadas e lideradas por mulheres.

A pergunta que não quer calar: A bíblia proíbe? como ela se manifesta?

A verdade é que se você pedir para aquele que são contrários que exponham seus argumentos, ele não tem nenhum que seja forte o suficiente para convencer alguém sobre a bíblia não permitir.

Quais são seus argumentos?
Como não existe texto nenhum na bíblia que proíba o ministério feminino diretamente, eles tem alguns argumentos, vejamos quais:

I) JESUS NÃO ESCOLHEU MULHERES COMO DISCÍPULOS.

O primeiro argumento se baseia sob o fato de Jesus não ter escolhido nenhuma mulher para acompanha-lo como discípula, e assim dizem que mesmo Jesus não ter ficado preso ao machismo Judeu, e ter demonstrado a grande valor delas, ele não teria aceito que elas fossem lideres, e assim “se Jesus não inaugurou o ministério feminino, não seriam eles a fazê-lo”.
Esse argumento parece fazer algum sentido, só parece, pois não faz nenhum sentido, por que? Simples; pense em como funcionaria, se Jesus tivesse escolhido uma mulher para andar com eles doze, como seria doze homens e uma mulher dormindo em montes, orando, viajando sozinhos, teria que ser solteira ou casada? Se fosse solteira seus pais deixariam? E se fosse casada?  Como seriam os boatos? Hoje em um mundo tão aberto como o nosso, tão moderno isso já seria impensável, então não seria nem inimaginável há dois mil anos atrás, em uma cultura tão machista como aquela em que uma mulher não valia nem uma terça parte de um homem.
Esse argumento não é nem um pouco consistente, e de nenhuma maneira é suficiente para proibir o ministério feminino, pois se assim fosse, teríamos que além de proibir mulheres entre os discípulos, deveríamos também escolher uma porcentagem de ladrões e traidores assim como foi Judas, “um dos discípulos escolhidos por Jesus”, o que obviamente não faz sentido.
Mesmo que a bíblia deixe claro que Deus não faz acepção de pessoas, seria socialmente, culturalmente e praticamente inviável a escolha de uma mulher para andar com Jesus e os demais discípulos, em especial naquela cultura. (Gálatas 3:28  Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus.”           Atos 10;34 E, abrindo Pedro a boca, disse: Reconheço por verdade que Deus não faz acepção de pessoas;)

II) NÃO EXISTE RESPALDO BÍBLICO PARA O MINISTÉRIO FEMININO
  
Os que negam a possibilidade do ministério pastoral feminino, dizem que as mulheres até podem pastorear “se quiserem”, porem estariam rebeldes e sem respaldo bíblico para o ministério que exercem.
Que respaldo? do que estão falando quando falam de respaldo?
Segundo eles, a bíblia fala sobre o ministério masculino, ensina como eles devem se portar, porem em nenhum momento falam sobre elas, e sendo assim, segundo eles, elas não poderiam exercer o ministério, já que não há na bíblia nenhum texto que daria amparo para tal.
O texto preferido dos que rejeitam o ministério feminino está no livro de Paulo à Timóteo, quando Paulo Ensina como um Bispo deve se portar. (Ser marido de uma só mulher, apto para o ensino, e amam ainda mais quando ele diz, que o Bispo deve GOVERNAR a sua casa)
Esta é uma palavra fiel: se alguém deseja o episcopado, excelente obra deseja.
Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar; Não dado ao vinho, não espancador, não cobiçoso de torpe ganância, mas moderado, não contencioso, não avarento;Que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia(Porque, se alguém não sabe governar a sua própria casa, terá cuidado da igreja de Deus? ) 1 Timóteo 3:1-5
Para este esse texto é conclusivo contra o ministério pastoral feminino, por afirmar que o bispo tem que ser MARIDO e GOVERNO da sua casa, e assim sendo, não poderia ser uma mulher.
Parece razoável para você? Sim superficialmente parece, porém não passa de mais uma argumentação fraca, pois em nenhum momento Paulo diz no texto que o bispado é exclusividade dos homens, se assim fosse teríamos um problema; pois alguns poucos versos depois, ainda no mesmo capitulo, Paulo trata a respeito do ministério diaconal, e vejam só que curioso; (Os diáconos sejam maridos de uma só mulher, e governem bem a seus filhos e suas próprias casas. Porque os que servirem bem como diáconos, adquirirão para si uma boa posição e muita confiança na fé que há em Cristo Jesus. 1 Timóteo 3:12,13) Paulo não trata de diaconisas, apenas de diáconos no masculino, exatamente como faz a respeito dos bispos (presbíteros, pastores), e assim sendo, as diaconisas também não deveriam existir, pois esses também devem ser casados com UMA MULHER, e GOVERNAR a sua casa.
E as missionárias?  Onde está o respaldo para elas? Quando foi que Paulo, Jesus ou algum apóstolo tratou e ensinou como ser uma missionária?
 
Toda a organização e ordenanças ministeriais da igreja primitiva foram feitas sobe o pano de fundo de uma cultura machista em que mulheres nem se quer podiam falar na igreja (I Timóteo 2.11,12  A mulher aprenda em silêncio, com toda a sujeição. Não permito, porém, que a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio.), que dirá pastorear uma, então evidentemente os apóstolos não seriam loucos de por mulheres para pastorear igrejas, pois assim não teriam êxito em sua missão, sendo assim preferiam que as mulheres ficassem totalmente em silêncio, ajudando a pastorear dando sua opinião ao seu marido em casa.
Evidentemente que quando ensinava como os obreiros deveriam se portar, tratava o assunto no masculino, pois eram teoricamente a princípio, apenas esses que pastoreavam ou contribuía como obreiro na igreja, sendo assim não faria sentido ele falar sobre como elas deveria se portar ali, se elas nem se quer estavam ali, porem de forma nenhuma, isso quer dizer que elas não poderia vir no futuro, e como mostraremos mais a frente, até mesmo em um futuro bem próximo da realidade deles, mas está contido no ensino, exatamente o que um homem ou uma mulher deveria fazer: “exercer bem o chamado, exercendo com excelência seu papel em casa como esposo, ou esposa”. Paulo não exclui a mulher como pastora apenas por dizer que o bispo deve governar a sua casa, assim como não exclui uma mulher como diaconisa apenas por dizer que ele deve governar a sua casa, ele apenas está dizendo, que o bispo, ou o diácono, deve antes de ser um bom obreiro, ser um bom marido, e com certeza, uma boa esposa.

QUAIS SÃO OS RESPALDOS PARA O MINISTÉRIO PASTORAL?
Como já vimos acima, segundo o pensamento dos contrários, nenhum tipo de ministério feminino teria respaldo bíblico, a não ser das velhas senhoras de ensinar as jovens, fora isso, todos os respaldos bíblicos para o ministério, seria masculino, e não feminino, o que não faz sentido.
Se seguisse esse conceito, poderíamos perguntar: qual o respaldo para o termo PASTOR? pastor é uma unção, ou uma função?

UNÇÃO OU FUNÇÃO?
          O que os que negam a possibilidade da separação de mulheres ao ministério pastoral parecem não compreender, é que o pastor na realidade não se trata de apenas uma unção e sim de uma função, ou seja; um pastor ou pastora não é aquele que tem esse título como unção, e sim aquele que exerce a função de cuidar de ovelhas. Não importa se é homem ou mulher, o que importa é o que está exercendo, pois se uma pessoa cuida de ovelhas não pode ser chamado ou intitulado de outra coisa, apenas de PASTOR. Há ainda nesse sentido outra coisa que parecem não entender; o ministério de PASTOR, só existe como unção por ser um simbolismo de um pastor como uma função. Parecem então esquecer que a função de pastor como função não é exclusivamente de homens, pois algumas mulheres exerceram a função de pastoras na bíblia sagrada.
        Vejamos algumas mulheres que foram pastoras:
a) RAQUEL:  Gênesis 29.9  Estando ele ainda falando com eles, veio Raquel com as ovelhas de seu pai; porque ela era PASTORA.
b) ZÍPORA (IRMÃ DE MOISÉS) E SUAS IRMÃS:   Êxodo 2. 16 E o sacerdote de Midiã tinha sete filhas, as quais vieram tirar água, e encheram os bebedouros, para dar de beber ao rebanho de seu pai.
c) SULAMITA (NOIVA DE SALOMÃO):  Cantares 1.8    Se tu não o sabes, ó mais formosa entre as mulheres, sai-te pelas pisadas do rebanho, e apascenta as tuas cabras junto às moradas dos pastores.

Observe que as mulheres assim como os homens exerciam a função de pastoras, e não poderiam ser chamadas de outra coisa a não ser de pastoras, e sendo assim, assim como os homens que exercem a função de pastores e são reconhecidos como tal, as mulheres que nesse sentido não se diferenciam deles, se exercem a função de pastoras, tem que ser reconhecidas como tal.
    Se alguém cuida de ovelhas, não importando se homem ou mulher só pode ser reconhecido como PASTOR ou PASTORA.





III) MULHERES DEVEM FICAR CALADAS NA IGREJA
Como afirmar que não existe respaldo para o ministério feminino não funciona como eles gostariam que funcionasse, pois o problema não é se existe respaldo para ele existirem, e sim se a bíblia proíbe que elas exerçam tal função, e ai é que eles correm para Timóteo 2;11 e 12, (I Timóteo 2.11,12 A mulher aprenda em silêncio, com toda a sujeição. Não permito, porém, que a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio.) afirmando que uma mulher não pode ser pastora, pois as tais deveriam ficam em silêncio na igreja, e não poderiam exercer autoridade sobre “os homens”.
Vejo ai alguns problemas causados pela distorção da ideia do texto;

a) CULTURA LOCAL: Em qualquer debate sobre este texto, que não esteja ligado a ideia de mulheres pastoras, todos ou pelo menos 99% dos debatentes, defendem o fato de que este texto está ligado há uma questão cultural local, em que Paulo “aconselha” que as mulheres se mantenham caladas, para não causar tumulto, ou ser algum tipo de barreira ao evangelho, já que muitos homens “machistas” poderiam se sentir ofendidos em ouvir, ou serem ensinados por uma mulher, assim como se entende ser cultural, com exceção da Igreja Cristã do Brasil (igreja do véu),eu a questão do véu era cultural, e não mais válida para os nossos dias. (I Coríntios 11.6 Portanto, se a mulher não se cobre com véu, tosquie-se também. Mas, se para a mulher é coisa indecente tosquiar-se ou rapar-se, que ponha o véu), todos entendem se tratar de algo cultural, mas quando lhes convém, trazem para o nosso contexto descaradamente.

 b)  PROFETIZAS: Ao usarem este texto como sendo a proibição de mulheres serem pastoras, por serem obrigadas a se manterem em silêncio em casa, se deparam com um grande problema; “as profetizas” ( Atos 21;8 E no dia seguinte, partindo dali Paulo, e nós que com ele estávamos, chegamos a Cesaréia; e, entrando em casa de Filipe, o evangelista, que era um dos sete, ficamos com ele. 9 E tinha este quatro filhas virgens, que profetizavam.)
Se as mulheres deveriam ficar em silêncio em público, como as profetizas deveriam profetizar? Em linguagem de sinais?
Fica bem claro na bíblia que existiam profetizas no meio do povo, que profetizavam entre eles, e evidentemente não o faziam em silêncio, o que prova claramente que o fato de Paulo aconselhar que as mulheres ficassem em silêncio na igreja, não se aplicava a todas as mulheres, e não apenas isso, mas ainda tem o problema da função do profeta (profetiza). Qual a função de um profeta no novo testamento? Veja o que Paulo diz: “o que profetiza fala aos homens, para edificação, exortação e consolação” (1 Coríntios 14:3).
Paulo deixa muito claro que a função de um profeta(profetiza), era a edificação exortação e consolação do povo, exatamente a função de um pastor, e sendo assim, podemos afirmar com clareza que as profetizas exerciam posição de liderança na igreja, edificando, exortando e consolando o povo, por meio do seu dom.
Geralmente os mesmos que são contrários ao ministério pastoral feminino, são aqueles que acreditam no cessacionismo (fim dos dons espirituais), em razão do fechamento do canon bíblico, pois acreditam que os dons, em especial o de profetizar, serviram apenas como base para a fundação da igreja (EF 2:20 Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina;) porem se deparam com o problema das profetizas na igreja, pois se o dom de profecia cessou por ser um dom para a edificação e fundamento da igreja, se faz obrigatório assumirem que elas(as profetizas) tinham autoridade pastoral sobre a igreja.

c) FEBE: “Recomendo-lhes nossa irmã Febe, serva da igreja em Cencréia. Peço que a recebam no Senhor, de maneira digna dos santos, e lhe prestem a ajuda de que venha a necessitar; pois tem sido de grande auxílio para muita gente, inclusive para mim. Saúdem Priscila e Áqüila, meus colaboradores em Cristo Jesus. Arriscaram a vida por mim. Sou grato a eles; não apenas eu, mas todas as igrejas dos gentios. Saúdem também a igreja que se reúne na casa deles.”Romanos 16:1...

Febe, no original é chamada “diaconisa na igreja em Cencréia”. De acordo com o testemunho do autor patrístico Teodoreto de Ciro (393 – 466 d.C.), Febe era uma pregadora itinerante cuja fama correu o mundo todo. “Ela era conhecida não apenas entre os Gregos e Romanos, mas entre os bárbaros também”. E Febe não foi a única. Uma pedra tumular foi achada em 1903 no Monte das Oliveiras com esta inscrição: "Aqui jaz a serva e virgem noiva de Cristo, Sofia, a diaconisa, a segunda Febe". Isso demonstra que Febe tornou-se numa espécie de referência de liderança feminina na igreja primitiva.

Febe é uma pedra no sapato de quem é contrário ao ministério pastoral feminino, pois não há como negar o fato histórico, de Febe ter sido uma grande pregadora, inclusive apoiada pelo próprio Paulo, que não aprova apenas, mas também solicita que a igreja a apare e ajude a ela no que ela precisar para manter seu ministério.
O termo traduzido como “AUXÍLIO” é prostatis. Esta palavra não é traduzida dessa maneira em nenhum outro lugar nas Escrituras gregas. Foi uma palavra com e clássica que significava "padroeira ou protetora, uma mulher colocada por cima dos outros". É a forma feminina do substantivo masculino prostates, que significa "defensor" ou "guardião" quando se refere aos homens. Em 1 Timóteo 3:4-5,12 e 5:17, o verbo proistemi é usado a respeito das qualificações dos bispos e diáconos quando Paulo ordenou aos homens a "governarem" bem as suas casas, que incluiu cuidar das suas necessidades. O que foi que significou para homens, deve significar o mesmo para as mulheres. O que foi que estes bispos e diáconos fizeram para as suas casas, Febe fez para a igreja e Paulo. As posições foram idênticas.

Quando se afirma que uma mulher não pode ser pastora, por que não pode exercer domínio sobre os homens, precisam condenar o próprio Paulo, que afirma que Febe, exercia autoridade sobre a igreja, o ajudando.

d) AUTORIDADE SOBRE OS HOMENS? está mais do que claro, que ao contraio do que afirmam os que usam este texto para proibir o ministério feminino, já que está mais do que comprovado que as mulheres pregavam, ensinavam, e exerciam autoridade sobre a igreja, porém ainda resta um último argumento que usa o texto como base; “As mulheres não podem exercer domínio sobre os homens”, e agora? percebam que o texto é forçado descaradamente, pois em nenhum momento, o texto diz que as mulheres não poderiam exercer domínio sobre “os homens” e sim, sobre o “seu marido”, mostrando assim que este texto não tem nenhuma relação com ministério pastoral, ministério feminino, ou liderança sobre a igreja, mas trata apenas de uma questão de casal, questão essa que fica claro se olharmos para o texto, com a devida atenção ao próprio contexto; casamento.


        .
IV) EXISTEM IGREJAS E MINISTÉRIOS HEREGES PRESIDIDOS POR MULHERES
Essa nem merece muito esforço para refutar, pois se baseando por isso, ai sim que deveríamos não apenas permitir as mulheres a pastorear, como proibir os homens de pastores, pois são eles os reis das heresias difundidas pelas igrejas, não apenas a igreja moderna, quanto as antigas, já que as grandes reformas, concílios e demais, são resultados de problemas ligados a heresias causados por grande HOMENS.

.